back to top

O papel da Kultura Hip Hop na sociedade

Curiosamente, a Kultura Hip Hop inseriu-se ou integrou-se na sociedade através das artes que naquele momento eram marginalizadas. Pois, ela é um conjunto de artes: Tocar (Deejayin), Cantar (Emeeceein), Dançar (Breakin), Desenhar (Graffiti art), Ensinar/Instruir (Street Knowledge), Negociar (Empreendedorismo), Criar (Street Fashion, Street Language e BeatBoxin).

Ela nasceu na extensão das correntes de afirmação do homem preto, num momento de turbulência para dar espaço, voz, palco, tela e oportunidades a um grupo de pessoas desfavorecidas e marginalizadas na sociedade.

Hoje a Kultura Hip Hop é um elemento reintegrador de pessoas na sociedade. Ou seja, ontem marginalizada, hoje ajuda na reintegração dos marginalizados. Ela acolhe, recicla e reintegra-os como grandes modelos e suportes nas comunidades inseridas.

“É uma máquina recicladora e reintegradora do ser humano como produto dê e para asociedade”. Universidade Hip Hop.

O Hip Hop é um movimento inteligente (literalmente) – Krs One.

Breve historia

O Hip Hop teve as suas primeiras manifestações no final da década de 60 e princípio da década de 70, com a prática dos seus 4 elementos núcleo (Deejayin, Emeceein, Breakin e Graffith Art) pelos adolescentes e jovens dos bairros pobres de Nova York (Bronx), onde se encontravam imigrantes provenientes de países como a Jamaica, Porto Rico e outros da América Latina.

A sua semente foi lançada quando Kool Herc foi convidado pela sua irmã mais velha Cindy Campbell para tocar na festa dela de regresso as aulas em 11-08-1973, na Avenida Sedgwick, 1520 (Birthplace).

São apontados como percursores da kultura urbana mais popular da actualidade o DJ KOOL HERC considerado “Pai”, o DJ AFRIKA BAMBAATAA “Padrinho” e o DJ Grand Master Flash “Inventor”, devido ao contributo relevante de cada um deles permitindo a proliferação o carácter cultural e o desenvolvimento desta.

O termo Hip Hop, tem o significado apresentado hoje como sendo “Movimento Inteligente” (Hip is the Knowledge, Hop is the Movement… Hip and Hop is Intelligent Movement” by KRS ONE in Hip Hop live 2007) …

No entanto a etimologia do termo, provém desde os anos 1149 passando pela designação dos movimentos “Hippies” até ao cuidado e Geração de vida “Hop”

Porém para percebermos a função social do Hip Hop, devemos olhar para os diferentes acrónimos que foram associados ao mesmo ao longo dos anos e que estão descritos na página 70 do livro “The Gospel of Hip Hop” o primeiro instrumento para o seu entendimento integral.

H.I.P. H.O.P

Her Infinity Power Helping Opressed People;

Seu Poder Infinito de ajuda as pessoas oprimidas

Having Inner Peace Helping Others Prosper;

Busca de paz interior, ajudando os outros a prosperar

Holy Integreted People Having Omni-present Power

Pessoas abençoadas com poder omnipresente.

Quando as pessoas pensam em Hip Hop, tendem a pensar na música rap e suas actividades correspondentes. Para a maioria das pessoas o Hip Hop é um género de música popular, e é assim que a maioria das pessoas olham para o Hip Hop, que é uma visão errada.

AS 3 NATUREZAS

  • Hiphop – nosso único espírito, nossa consciência colectiva única; a criatividade, a força causadora por trás dos elementos Hip Hop. O Hiphop é o nome do nosso estilo de vida e a consciência colectiva. É a habilidade perceptual que causa auto-criatividade e constrói o auto-valor (Representado por: Kool Herc).
  • Hip Hop – a criação e o desenvolvimento do Breakin, Emeceein, Graffiti Art, Deejayin, Beat Boxin, Street Fashion, Street knowledge, Street Language, Empreendedorismo de rua e Saúde e Bem-estar. É isso que chamamos a nós mesmos e a nossa actividade no mundo. (Representado por: Afrika Bambaataa).
  • hip-hop – é o produto da música rap e todas as coisas e eventos associados a mesma – hip-hop é um género musical.(Representado por: Grand Master Flash).

Nota: Lição nº1 do Temple of Hip Hop

Hip is the Knowledge ; Hop is the Movement…

Hip and Hop is Intelligent Movement… The master Professor Krs One

Hiphoppa – Todos que vivem os princípios da nossa kultura (são chamados Hiphoppas e não Hip hoppers).

Kultura Hiphop – Hip Hop;

Rap – Música da kultura Hip Hop;

Rapper – Pessoa que canta música rap.

A trilogia Hiphopática (Pai, Padrinho e o Inventor) e datas associadas aos seus feitos

O Hip Hop teve as suas primeiras manifestações no final da década de 60 e princípio da década de 70, com a prática dos seus 4 elementos núcleo (Deejayin, Emeceein, Breakin e Graffith Art) pelos adolescentes e jovens dos bairros pobres de Nova York (Bronx).

São apontados como percursores da kultura Urbana mais popular da actualidade, o DJ KOOL HERC considerado “pai”, o DJ AFRIKA BAMBAATAA “Padrinho” e o DJ Grand MASTER FLASH “Inventor”, devido ao contributo relevante de cada um deles permitindo a proliferação do carácter cultural e o desenvolvimento desta.

DJ KOOL HERC

DJ Kool Herc (Clive Campbell) “Considerado o Pai da Kultura Hiphop” – Reuniu pela primeira vez os elementos núcleos da Kultura Hip Hop na festa da sua irmã Cindy Campbell (Back to the School Party).
Ø Party date – 11-08-1973;
Ø Birth place – Avenida Sedgwick, 1520

DJ AFRIKA BAMBAATAA

DJ Afrika Bambaataa (Kevin Donovan) Considerado o Padrinho da Kultura Hip Hop – atribuiu  orientação espiritual a união dos 4 elementos “núcleo” com base nos princípios da Universal Zulu Nation plasmados nas infinity Lessons e definiu as linhas de orientação primárias à (12-11-1974).

DJ Grand Master Flash

DJ Grand Master Flash (Joseph Saddler)
O inventor do Fader, ferramenta que revolucionou a arte de Deejayin, recriando as técnicas de sound extend, ainda desenvolveu o Scratch, criado pelo seu pupilo Grand T. Wizard. transfotmando as turntables em instrumentos musicais por inteemedio do Turntablismo.

Os Documentos Oficiais da Kultura Hip Hop

1) Linhas de orientação primárias da Kultura Hip Hop

(Paz, Amor, União e Diversão com responsabilidade) – U.Z.N. (1973);

Estas Linhas de orientação primária, foram usadas para identificar o ideal a ser seguido pelos Membros da Universal Zulu Nation aquando da sua fundação, baseada no seu compromisso em reverter o quadro de elevada delinquência que assombrava Bronx, tendo sido adoptadas pelo Hip Hop na celebração do 1.º Aniversario da Universal Zulu Nation.

2) Infinity lessons – Universal Zulu Nation;

Com o crescimento da Universal Zulu Nation, Afrikaa Bambataa sentiu a necessidade elaborar com a ajuda dos demais Membros, um código de conduta a ser seguido pelos integrantes da UZN e ainda um profundo conhecimento dos seus propósitos como uma Organização não violenta comprometida com o seu desenvolvimento, da sociedade e dos seus actores.

3) Introduction lessons – Temple of Hip Hop (1996);

O Templo do Hip Hop é a organização fundada pelo Master Professor KRS One, com o intuito de difundir os conceitos, propósitos e fundamentos da Kultura Hip Hop e entre os vários trabalhos que têm desenvolvido para o seu ensinamento, possuem as Lições de Introdução a Kultura Hip Hop, que é um manual para entendimento básico desta Kultura.

4) Declaração de Paz da Kultura Hip Hop (16-Maio-2001);

A Declaração de Paz do Hiphop é um guia para a Kultura Hiphop em direcção à libertação da violência e aconselha e protege a existência e o desenvolvimento da comunidade Hiphop a nível internacional. Através dos Princípios da Declaração de Paz do Hiphop, estabelecemos uma fundação de saúde, amor, consciência, abundância, paz e prosperidade para nós, para os nossos filhos e para os filhos dos nossos filhos, para o futuro.

Para efeitos de clarificação do propósito e significado do Hiphop, ou quando estiverem em questão as intenções do Hiphop, ou ainda quando surgirem disputas entre facções relativamente ao Hiphop, os Hiphoppas devem ter acesso às orientações deste documento, a “Declaração de Paz do Hiphop” para orientação, conselho e protecção.

5) Memorando de Entendimento do Movimento Hip Hop (Elinga teatro 24-11-2013).

O “Memorando de entendimento do Hip Hop Angolano” ou “Código de Conduta do Hip Hop em Angola”, possui as linhas orientadoras do comportamento a ser adoptado pelos praticantes e promotores dos elementos da Cultura Hip Hop em Angola, podendo se estender para os seus apreciadores ou outras pessoas que se identifiquem com esta Cultura Urbana.

Com objectivo de alinhar a Cultura Hip Hop em Angola, os pontos do presente documento servirão de Matéria de apoio sempre que esteja em análise a Cultura Hip Hop Nacional ou o comportamento e actividade de um ou vários elementos dela em Angola. O cumprimento dos seus pontos deverá ser em primeira instância uma questão de consciência individual de cada praticante e de consciência colectiva dos diferentes Movimentos, Grupos ou Núcleos Nacionais. Não constituindo por isso qualquer impedimento a liberdade de criação, comportamento e manifestação, sendo que cada ponto foi elaborado de acordo o compromisso do Hip Hop com o desenvolvimento das comunidades em que está inserido.